top of page
SALOMÉ-Parte 3_edited.jpg

Salomé

Salomé é um solo de Dança inspirado na obra homônima de Oscar Wilde e um desdobramento da dissertação de mestrado “Enquanto a interface vira corpo: considerações sobre a construção do corpo gay na contemporaneidade digital” (2019), escrita por Paco Vasconcelos, artista independente e proponente deste trabalho.

Salomé é apresentada neste trabalho como uma alegoria para o Grindr, aplicativo de busca por parcerias sexuais principalmente entre homens gays. Mais especificamente, Salomé é alegoria para as dinâmicas de poder presentes no aplicativo. Ela, neste solo, é uma entidade que coleta cabeças, que coleta faces, signo que humaniza os corpos, torna-os uno e os identificam.

Café - O filme

Café, espetáculo de dança-teatro, da Cia. de Teatro e Dança Pós- Contemporânea d’Improvizzo Gang (DIG), após nove anos de existência, vira filme. O trabalho, contemplado pela Lei de Incentivo Aldir Blanc, é inspirado na obra Café Müller, de Pina Bausch, e faz um paralelo entre a dureza dos encontros dentro de uma sociedade controladora e a solidão em tempos de pandemia. Os performers- criadores são Bob Silveira, Cleison Ramos, Diogo Lins, Paco Vasconcelos (Franz Andrade), Gardênia Coleto, Jonas Araújo, Lili Guedes, Lílian Queiroz, Natália Bordalo, Michelotto, Pollyanna Monteiro e Vinícius Farias. A direção de fotografia e edição são de Felipe Schuler. Composição, performance e produção musical são de Vinícius Farias. Produção e direção de arte de Paco Vasconcelos (Franz Andrade). Coreografia, roteiro e direção geral são assinados por Pollyanna Monteiro.

Ensaio Café DIG-49.jpg
Captura de Tela 2022-06-27 às 16.25.53.png

Sedjucciónny

Videodança experimental que surgiu a partir da encruzilhada entre reflexões sobre o momento de isolamento social pelo qual o mundo passou, o excesso de imagens que sustentou a vida e foram criadas durante esse período, e sobre a construção de corpos de desejo em distanciamento social. Seddjucciónny busca evidenciar de forma bem humorada e através do riso a falta da presença física que muitos sentiram e como todas as imagens que consumíamos nas diversas plataformas digitais nos lembravam dessa ausência. A videodança tenta assim ressignificar essas imagens, transformá-las em algo diferente, mais leves, para que possamos liberar outras diversas imagens presas em nós num instante de gargalhada. É o humor como um glitch capaz de realizar nossos próprios desejos e nos salvar.

IDEALIZAÇÃO, EDIÇÃO E MONTAGEM
Paco Vasconcelos (Franz Andrade)

CRIAÇÃO E PERFORMANCE
Bob Silveira, Paco Vasconcelos (Franz Andrade), Lil Queiroz, Pollyanna Monteiro

 

Projeto contemplado pelo Prêmio Funarte RespirArte

Videodança desenvolvida durante laboratório de criação com Yann Beauvais - Práticas Numéricas - Videodança com Patrocínio da SECULT/PE e Consulado Geral da França do Nordeste no Recife. 2020.

bottom of page